" A atuação das elites brasileiras na Independência e na definição do perfil político nacional partiu de uma estrutura escravista oposta a uma meta de ampliação dos direitos populares e mesmo contra o envolvimento participativo do conjunto da população brasileira. Até porque, por suas raízes, predominavam entre nossas elites as posições ideológicas de padrão bastante autoritário e conservador, mesmo quando se aproximavam das tendências liberais europeias do período".
(TRINDADE, Hélgio. Construção da cidadania e representação política: lógica liberal e práxis autoritária).

Como "tendências liberais europeias" no período elencado no texto pode-se identificar corretamente o: