Segundo Marcuschi (2002, p. 19), gêneros textuais ―são entidades sócio discursivas e formas de ação social‖, que circulam em diferentes esferas sociais (escola, trabalho, casa, rua), nas mais diversas culturas (brasileira, indiana, italiana), em comunidades ou domínios discursivos variados (docentes, comunidade futebolística, congregações religiosas), tendo sempre um propósito comunicativo no seu uso (divulgar um produto, ensinar algo). Como exemplo de gêneros, citam-se resenha de livro, cardápio, convite, tirinhas, entre outros.

As tirinhas pertencem a um hipergênero denominado quadrinhos que agrega outros gêneros (cartuns, charges, tiras cômicas, etc.). Segundo Ramos (2009), a presença do humor é a principal característica da tirinha, além de ser um texto curto, configurado no formato retangular, vertical ou horizontal, com um ou mais quadrinhos, diálogos curtos, recursos icônico-verbais próprios (como balões, onomatopeias, metáforas visuais, figuras cinéticas etc.), personagens fixos ou não e desfecho inesperado.

Observe a tirinha:

2018_03_15_5aaa65a22fd53.PNG

A seguir, apresenta-se uma sequência resumida de atividades a serem trabalhadas a partir da tirinha.

I- Apresentar o personagem da tirinha (nome, características, criador, etc).

II- Compartilhar com os alunos as atividades que serão realizadas a partir da tirinha (leitura, análise linguística e produção textual).

III- Produzir uma tirinha vertical em dupla (ou trio, dependendo do número de alunos).

IV- Explicar o gênero tirinha. Discutir os elementos básicos do gênero tirinhas (relações entre linguagem visual e verbal). Diferenciar tirinha de charge.

V- Identificar seus conhecimentos prévios concernentes às tirinhas.

A melhor sequência para o desenvolvimento das atividades propostas está na letra: