O Circuito do Ouro teve seu acesso facilitado ao ser desbravado pelos bandeirantes, devido à presença do Rio das Velhas, utilizado como caminho natural de penetração pelo interior. Em suas margens, foram encontradas as primeiras pepitas de ouro da região, em local denominado Sabará - buçu, onde, nos fins do século XVII, se formou o arraial de Sabará. O Circuito do Ouro foi palco, ainda, dos primeiros conflitos ocorridos na zona mineradora. O conflito que mais destacamos denomina-se "Guerra dos Emboabas", cuja luta baseou-se na disputa do controle do sistema de mineração pelos paulistas que se julgavam no direito de possuí-las, já que as haviam descoberto, conquistando assim privilégios econômicos e políticos.

Figura extremamente popular na época do descobrimento do ouro foi o 'tropeiro'. Além de sua função econômica, ele adquiriu um papel social de portador de notícias, representando, assim, um verdadeiro elo entre os grandes e os pequenos núcleos urbanos. O tropeiro era quem comprava, nos grandes centros abastecedores, gêneros de toda a espécie e os levava para o interior, ganhando, sobre as vendas, porcentagens exorbitantes. Em pouco tempo, adquiria fortuna, prestígio social e ingressava na carreira política.

Igreja, nesta época, representou um papel relevante no processo de colonização e organização da sociedade do Circuito do Ouro. Desde então até os dias de hoje o ouro tem uma grande importância, principalmente no ramo de joias, brincos, anéis, colares e outras mais. Uma aliança de ouro 18 quilates é constituída por 75% de ouro e 25% de cobre. Pode-se afirmar que esta peça é uma: